• 30/04/2019
  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Imprimir Contéudo

Nota da CNT: Como baixar a pressão no transporte de cargas

Oscilações constantes no custo do diesel inviabilizam a formação de preços justos e seguros para o frete. Essa situação expõe os transportadores a incertezas e a prejuízos insuportáveis. Se perdurar, pode levar à insolvência generalizada no setor.

A Confederação Nacional do Transporte – CNT, sugere a adoção de um ponteiro para indicar as oscilações do mercado internacional para que o transportador possa revisar seus custos a tempo de absorver as variações no preço do diesel.

Outra medida é a criação de um gatilho que dispare o repasse quando houver grandes oscilações do preço internacional do diesel. Por exemplo, sempre que a variação acumulada ultrapassar 10% para cima ou para baixo, o preço do diesel deve ser reajustado. Isso evitaria solavancos no preço mantendo o mercado mais estável e seguro.

Para a Confederação, encontrar um ponto de equilíbrio para o preço do diesel é fundamental, mas não é suficiente para aliviar a pressão sobre o transporte de cargas. Pelo menos, outros dois fatores pesam muito sobre o setor: a carga tributária, que chega a 24% do custo do combustível e a precariedade da malha rodoviária do país. 

A Pesquisa CNT de Rodovias indica que, sozinha, a má qualidade do pavimento causa um aumento médio de 26,7% do custo de manutenção dos veículos, além de gastos extras com combustíveis, lubrificantes, pneus, freios e demais insumos. 

 

Fonte: CNT



Todos os direitos reservados - 2019 - SETCOM - O Sindicato que Faz por Você

Desenvolvido por Idea Mater!